quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

O PT precisa sair das cordas e voltar aos braços do povo

Por Paulo Costa

O PT reuniu um tripé sólido em sua organização inicial. Juntou o movimento sindical, com forte participação do sindicato dos metalúrgicos do ABC, as CEBs (comunidades eclesiais de base da igreja católica) e grande parte da intelectualidade de esquerda e artistas do país. Essa junção foi responsável por garantir ao PT uma representatividade social muito maior do que qualquer outra agremiação política partidária já constituída no Brasil
Mesmo com toda essa densidade, Lula – maior responsável por unir o tripé fundador – teve que disputar quatro eleições para levar o PT ao centro do poder nacional. Para vencer as eleições, o PT suavizou o discurso, aderiu ao financiamento privado de campanhas e flexibilizou a política de alianças.
Em 2002, Lula teve como vice: José Alencar, um empresário do ramo têxtil de Minas Gerais, filiado ao PR. Esse era o recado claro para a sociedade: “o PT não iria romper com o estado de direito estabelecido até então e manteria a ordem social”.
Durante a transição de governo, foi escrita a “Carta aos Brasileiros”. Documento que sinalizava ao mercado a manutenção de regras contratuais e garantias de que não haveria “cavalo de pau” na economia. Além da carta, a escolha de Henrique Meireles para presidência do Banco Central – ex presidente do Bank Boston – deixava claro que os rumos da economia caminhariam para um regime ortodoxo. A dupla Meireles e Palocci (ex ministro da Fazenda) adotaram no início do governo Lula uma política até então impensada por petistas e partidos de esquerda. Elevação de taxas de juros, metas elevadas de superávit primário, foram marcas do modelo político que estaria por vir.
O governo recém empossado tinha forte apoio popular. Os primeiros seis meses eram determinantes para enviar ao congresso nacional projetos que modificassem estruturalmente as regras do poder político, econômico e social. Era o momento mais propício para enviar a proposta de REFORMA POLÍTICA e iniciar um forte debate com a sociedade, aproveitando o apoio popular garantido nas urnas, bem como a fragilidade da direita recém derrotada.
O governo optou por enviar ao congresso nacional as propostas de REFORMA PREVIDENCIÁRIA e TRIBUTÁRIA. Tais reformas não agradaram boa parte das bases do PT e dos sindicatos, causando fissuras irreversíveis que culminaram na criação do PSOL, partido composto por vários ex petistas que estavam contrariados com as medidas iniciais.
Além de perder a melhor oportunidade histórica para mudar as regras do sistema político, tais decisões corroboraram para construir uma voz de oposição à esquerda. Também ficamos fragilizados no debate interno ao perder vozes e opiniões que faziam o contraponto no debate interno, impedindo a construção de uma política hegemônica que faz muito mal ao partido.
O reflexo de tudo isso foram os processos que vieram nas eleições de 2006, 2010 e 2014. Em 2006, Lula não venceu a reeleição no primeiro turno devido ao desgaste causado pelo “mensalão”. Em 2010 tivemos que enfrentar dois turnos, tendo que lutar novamente contra o tal mensalão para eleger Dilma. Em 2014, novamente em eleição de dois turnos, a pauta era o mensalão e os escândalos na Petrobras. Não é preciso ser um gênio para compreender que todas essas dificuldades encontradas são decorrentes da escolha em manter as antigas regras do sistema político eleitoral.
A política é cruel e não perdoa erros. Costumamos dizer que oportunidades na política é um cavalo selado que passa apenas uma vez na vida. Esse cavalo passou em 2003 e o núcleo político do governo Lula não quis montar. Se houvesse a aprovação do financiamento público naquela ocasião, não estaríamos hoje nas cordas do ringue político. Não há horizonte no curto prazo para que possamos reagir. Vivemos uma correlação de forças extremamente desfavorável. A atual câmara dos deputados é a mais conservadora dos últimos doze anos. As instâncias do PT demoram uma eternidade para se movimentar devido à avalanche de denúncias. O atual governo não tem disposição pelo diálogo. O núcleo político está desorientado, sem rumo e sem discurso.

Cabe a militância, aos movimentos sociais, aos sindicatos, enfim, a base do PT, manter a pressão organizada para fazer com que o governo mantenha as conquistas adquiridas ao longo dos últimos anos. Cabe a militância continuar pressionando os nossos dirigentes para que reajam mais rapidamente aos ataques que sofremos. Cabe a militância reorganizar a participação popular nos movimentos sociais. Se quisermos sair das cordas e retornar aos braços do povo, o governo terá que aprender a politizar a execução das decisões tomadas. É preciso se comunicar melhor com o povo. Não adianta apenas realizar obras, implantar políticas sociais, garantir o desenvolvimento econômico se não disputar a consciência popular. 

quarta-feira, 5 de março de 2014

A proteção animal na agenda governamental

Por Paulo Costa
Ativista da proteção animal e dirigente do PT na região do Alto Tietê


Muitos governantes estão atentos as mobilizações em seus estados e municípios após os acontecimentos ocorridos no extinto Instituto Royal em novembro de 2013, onde um pequeno grupo de ativistas da proteção aos animais conseguiram mobilizar centenas de outros e invadiram o laboratório resgatando quase duzentos cães da raça Beagles, além de coelhos e outros animais que eram utilizados em testes químicos de vários produtos.

Em São Paulo foi protocolado e aprovado em tempo recorde um projeto de lei que põe fim aos testes químicos em animais para experimentos com cosméticos, testes de higiene pessoal, perfumes e seus componentes logo após a invasão ao Instituto Royal.
O governador se viu com o bode na sala. Após a aprovação do projeto, ativistas, protetores e simpatizantes acamparam em frente ao Palácio dos Bandeirantes para pressionar pela sanção do Projeto de Lei.
Após se reunir com uma comissão formada por ativistas o governador recebeu os representantes das empresas de cosméticos. A decisão do governador já era esperada, não restou a ele outra opção a não ser sancionar o referido projeto que encerra os testes químicos utilizando animais como cobaias.
Diante desse fato, ativistas e protetores de todo o Brasil descobriram o óbvio, o poder que juntos eles têm. A união desses militantes foi decisiva para colocar a proteção animal na agenda governamental. A luta não se encerra nessa etapa vitoriosa. Ainda é preciso vencer o lobby das indústrias farmacêuticas. Muitos animais ainda serão vítimas das empresas que não querem investir em métodos substitutivos como ocorre em muitos países da Europa.
Em várias cidades do Brasil fenômenos semelhantes ocorreram em menor proporção, porém, com resultados positivos para a causa. Ativistas e protetores tentam se organizar para fazer com que governantes criem órgãos governamentais para implementar políticas públicas para os animais. Cidades como o Rio de Janeiro e Porto Alegre criaram secretarias municipais especiais de proteção e bem estar animal. Vários outros municípios criaram coordenadorias ou departamentos com a mesma finalidade. Na capital de São Paulo há uma coordenadoria especial de proteção aos animais. Através dessa coordenadoria foram criados dois hospitais veterinários públicos na cidade, sendo um no Tatuapé e outro no Tucuruvi.
Enquanto ativista dessa nobre causa, mas, também militante de outras causas sociais, venho alertando nossas autoridades sobre a força desse novo segmento que está se formando em nossa sociedade.
Quem observa às mobilizações que são realizadas nas redes sociais, a compaixão existente entre personalidades, artistas e anônimos, em determinados casos, posso afirmar: governantes que não se dispuserem a dialogar com esse segmento estão fadados a cair em desgraça.
Onde existir uma ou mais lideranças capaz de unir esses ativistas em torno de eixos programáticos bem definidos, será cada vês mais freqüente a influencia nos resultados eleitorais. Daqui em diante será cada vez mais comum ver criados equipamentos de governo voltado à implementação de políticas de defesa e proteção aos animais devido à forte comoção provocada em novembro de 2013. Guardem essa data. Daqui em diante, a proteção aos animais entrou definitivamente na agenda dos governantes.

terça-feira, 12 de junho de 2012

LDO: Educação promete terminar fila em creches

Neide Marcondes estima que 5,5 mil crianças estão na fila por creche
Por Wellington Alves
Da Folha Metropolitana

Todas as crianças de quatro e cinco anos terão vagas em creche em Guarulhos até o final do ano afirmou ontem a secretária municipal de Educação, Neide Marcondes, na audiência pública da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), na Câmara Municipal. Com a universalização de atendimento das crianças acima de quatro anos, o desafio da Prefeitura será acabar com o déficit de vagas para crianças de zero a três anos.
A estimativa da Secretaria Municipal de Educação é que 5,5 mil crianças estão na fila por creche. Com a construção de 26 novas unidades graças a R$ 63 milhões vindos do Ministério da Educação, o déficit deve ser reduzido nos próximos anos. As licitações devem ocorrer já no próximo semestre. A Pasta ainda aguarda a confirmação de mais uma creche pelo Governo Federal e uma a ser construída pela Secretaria de Estado da Educação.
Atualmente a Prefeitura atende 29.350 crianças de quatro e cinco anos na rede própria. Neide admite que o desafio será universalizar o atendimento escolar a partir dos seis meses de vida. Guarulhos tem uma média 24 mil nascimentos por ano. Juntando as creches próprias e conveniadas, somente 22 mil crianças de zero a três anos possuem vagas gratuitas.

Petistas referendam candidatura de Almeida

COMENTÁRIO DO BLOG: Eu estive nesse encontro do PT e senti toda a unidade do Partido em torno do projeto de continuidade desse governo que continuará fazendo essa cidade cada vez melhor para a sua população.
Em meio a militantes e correligionários, no Encontro Municipal
do partido, Sebastião Almeida comemora o anúncio unânime
Por Lucas Pimenta
Da Folha Metropolitana

Em auditório lotado, com mais de 300 pessoas no Colégio Mater Amabilis, no Maia, o atual prefeito Sebastião Almeida e o seu vice, Carlos Derman, foram ratificados por unanimidade, como candidatos majoritários às eleições municipais, em outubro.
O anúncio oficial da candidatura, com lançamento da campanha e propostas de plano de governo, que foram discutidas durante todo o fim de semana pela militância do Partido dos Trabalhadores (PT), acontecerá em um evento específico até o fim do mês.
Falando como já candidato à reeleição, Almeida afirmou que acredita em suas realizações, além das obras feitas na administração do correligionário Elói Pietá, como principais trunfos para bons resultados nas urnas. Citando a construção de duas estações de tratamento de esgoto, atingindo 35% de capacidade, além da inauguração de quatro Centros Educacionais Unificados (CEUs) e a implantação de um novo sistema de transporte, Almeida acredita que o eleitor já conhece seu trabalho. “O PT vem mudando a cidade desde 2001. É claro que cada eleição é nova, trabalhamos com sonhos e queremos apresentar a melhor proposta. Mas já temos a convicção de que a população sabe que o PT é capaz de transformar a cidade”, exaltou Almeida.
Em relação à escolha por uma ‘chapa pura’, sem vices aliados para disputar o pleito, o presidente do partido Benedito da Silva, o Benê, acredita que não prejudicará a reeleição de Almeida. “Em princípio, é uma chapa pura, mas queremos dialogar com os partidos e mostrar suas participações dentro do programa e do projeto de governo. O importante é que os partidos somem e acreditem no projeto para a cidade”, disse.

Em meio a militantes e correligionários, no Encontro
Municipal do partido, Sebastião Almeida comemora o
anúncio unânime
Candidato, Almeida faz críticas aos tucanos
Aproveitando a presença da militância petista e a festa da ratificação de sua candidatura, o prefeito Sebastião Almeida também fez críticas ao PSDB e ao Governo do Estado.
Segundo Almeida, em discurso, o Estado sequer pagaria o prédio onde funciona a Faculdade de Tecnologia (Fatec) da cidade e trataria Guarulhos com descaso. “Não para o Governo do Estado lançar um candidato, se até o prédio da Fatec, a cidade que paga. Guarulhos vive um descaso por parte do Governo do Estado”, criticou.
Líder na campanha de Almeida, o deputado estadual Alencar Santana também engrossou a crítica aos tucanos. “Além de enfraquecida, a oposição não tem projetos para a cidade. É claro que é difícil prever um resultado, mas com o que o PT transformou a cidade, acreditamos na vitória”, comentou.
Prefeito cobrará impostos do aeroporto
Durante a ratificação de sua candidatura à reeleição, na tarde de ontem, o prefeito Sebastião Almeida disse que a Prefeitura voltará a requisitar o pagamento de impostos por parte do Aeroporto Internacional São Paulo/Guarulhos.
Afirmando que a concessão do equipamento à iniciativa privada torna o aeroporto particular, Almeida acredita que não terá mais brigas judiciais pelo pagamento dos encargos, como acontecia com a estatal Infraero administrando o local. Segundo ele, por ser um equipamento privado e não mais público, os impostos deverão ser pagos. “O nosso aeroporto terá um papel fundamental nos próximos anos e terá de pagar impostos. Não vai ter mais a desculpa de que é público ou as lutas judiciais com a Infraero. A discussão não é mais com eles, já que com a concessão, o aeroporto é um empresa privada”, discursou Almeida.

Moradores da Vila Operária estão apreensivos com reintegração

Moradores estão apreensivos com possibilidade de reintegração
COMENTÁRIO DO BLOG: Viver sobre o dilema de uma reintegração de posse é angustiante, só quem passou por isso sabe como é difícil conviver com essa incerteza. Também é revoltante ouvir da secretaria de assuntos jurídicos da prefeitura de Guarulhos informar que não é parte no processo. Uéh!! Será que a referida secretaria desconhece a finalidade social da terra?
Ou será que permitir que uma ocupação se consolide com quase 2 mil famílias não seria fazer vistas grossas?
Para onde irão essas famílias se a reintegração ocorrer?
Está faltando habilidade política para nosso Jurídico!!

Segundo eles, a Prefeitura não teria cumprido a sua parte nos acordos desta vez

Por Rosana Ibanez
Do Guarulhosweb



Os moradores da Vila Operária estão apreensivos quanto a uma possível reintegração de posse dos lotes. Esta não é a primeira vez que isso ocorre uma vez em que nos últimos anos, vários processos judiciais foram abertos com esta finalidade. No entanto, desta vez, segundo eles, a Prefeitura não teria cumprido a sua parte nos acordos.
"Em 2010 houve o Orçamento Participativo e aqui foi colocado como área de interesse social. A partir daí nós tivemos uma reunião com o jurídico da Prefeitura e a imobiliária Continental, onde ficou acertado que a Administração Municipal marcaria o território como Zona Especial de Interesse Social (Zeis) e a imobiliária retiraria o processo de reintegração. Contudo, a Prefeitura não cumpriu a sua parte no acordo e a Continental manteve o processo", explica o advogado dos moradores Horácio Neto.
A briga se estende desde 2008, entre posseiros, a imobiliária Continental e os moradores e até o momento não há uma posição definitiva, o que deixa as 1.800 famílias que residem na Vila Operária em constante apreensão.
"Tem gente aqui que não consegue dormir porque não sabe o que vai acontecer. Além disso, queremos fazer algumas melhorias em casa, como colocar piso, por exemplo, e não podemos porque não sabemos como será amanhã", afirmou a moradora Sonia Maria Santos.
O problema é que não há uma definição exata de quem de fato é o responsável pelo local. De acordo com o advogado Manuel Cantadeira a área seria pertencente ao seu cliente, Vicente Pala Pinto, que, como parte dos pagamentos de seu honorário, lhe repassou 23,7 mil m² - processo este que já foi deferido pela 7ª Vara Cível de Guarulhos, em 1994. Assim, o advogado seria dono de uma parcela da área total de 89 mil m², e estaria disposto a negociar com as famílias. Clique aqui e leia mais.

Confira um roteiro gastronômico especial para o Dia dos Namorados

COMENTÁRIO DO BLOG: Posto aqui uma variada opção para os casais de namorados escolherem aquela que mais poderá agradar o seu paladar.
Um feliz dia dos namorados para todos os casais guarulhenses.

Em Guarulhos existem bons locais para um jantar a romântico
Umas das datas mais românticas e esperadas do ano é celebrada nesta terça-feira, 12

Por Raissa Lira
Do Guarulhosweb

Nesta terça-feira, dia 12 de junho, os casais brasileiros irão celebrar o Dia dos Namorados, umas das datas mais românticas e esperadas do ano. Nesse dia tão especial é comum a troca de cartões, presentes e os jantares românticos entre os casais. E quem namora logo pensa em como irá presentear o seu par, se optar por um jantar romântico o Guarulhos HOJE dá dicas de restaurantes para não ter erro na escolha.
No Bar do Camarão os apaixonados encontrarão um ambiente decorado a luz de velas e poderão saborear vinhos por um valor promocional, já na Hamburgueria e Bar Vira Latas, além da decoração os enamorados ganharão um brinde especial, mas devem comprar convite antecipado.
Se além da refeição o par quiser aproveitar para ouvir uma boa música o Clube Vila Galvão irá realizar um jantar dançante ao som da banda Bee Gees One Cover, no próximo sábado, assim os casais que não puderem sair na data, podem também aproveitar o final de semana. Os convites são vendidos antecipadamente na secretaria do clube.

Frans Café
Principais pratos para o dia dos namorados: sopa no pão italiano, nhoque de mandioquinha recheado com carne seca, ravióli de massa verde, saladas, caldos, entre outros.
Serviço de delivery: não. A casa oferece apenas serviço para viagem
Necessário fazer reservas: sim
Preço: a partir de R$ 20,00
Local: avenida Paulo Faccini, 1879 - Parque Renato Maia
Horário de atendimento: 24h por dia
Telefone: 2229-8028

Vira Latas Hamburgueria e Bar
Principais pratos para o dia dos namorados: fondue de carne na pedra, fondue de chocolate e queijo, vários sabores de sopa no pão italiano, hamburgues, entre outros.
Serviço de delivery: sim, é cobrado taxa de acordo com endereço
Necessário fazer reservas: sim, a partir das 16h
Preço: R$ 45,00 o casal
Local: avenida Dr. Timóteo Penteado, 904 - Vila Progresso
Horário de atendimento: das 16h a meia noite
Telefone: 2382-7032 / 2382-7033

E.C Vila Galvão - Jantar dançante
Principais pratos para o dia dos namorados: carpaccio de hadock com molho mostarda, canapé de palmito com morango, crostines de bacalhau, quiche de de kani, quiche de champignon, folhado de peito de peru, damasco, berinjela, salada de folhas frescas,tomate cereja,lascas de palmito e cubinhos de manga ao molho de limão, escalope de filet mignon ao molho de ervas finas, arroz com passas e amendoas ou risoto de funghi secci e gratin de batata ao gruyére.
Necessário fazer reservas: sim, o convite é comprado antecipadamente no local
Preço: R$ 100,00 por pessoa com tudo incluso
Local: avenida Julio Prestes, 99 - Torres Tibagy
Horário de atendimento: das 16h a meia noite
Telefone: 2453-2244

Casa Portuguesa Restaurante
Principais pratos para o dia dos namorados: bacalhau zé do pipo, bacalhau a lagareiro, pratos portugueses, peixes, saladas, carnes, entre outros.
Necessário fazer reservas: não, somente de final de semana
Preço: o prato especial do dia dos namorados custa R$ 85,00 e serve duas pessoas
Local: rua Marcelino Petito, 31 - Picanço
Horário de atendimento: das 11h até o último cliente
Telefone: 2452-3344

Bar do Camarão
Principais pratos para o dia dos namorados: festival de camarão, camarão alho e óleo, camarão empanado, camarão no vapor, bolinho de camarão, pastel de camarão, marisco ao vinagrete, pirão de peixe, peixe grelhado com alcaparras e champignon, cação ao molho tártaro, manjubinha, picanha, salmão, contra-filé, risoto de bacalhau, entre outros
Serviço de delivery: não. A casa oferece apenas serviço para viagem
Necessário fazer reservas: não
Preço: por volta de R$ 40,00
Local: rua Marajó, 45 - Jardim Barbosa
Horário de atendimento: das 18h até o último cliente
Telefone: 2440-5589

Himalaia Chopp Bar
Principais pratos para o dia dos namorados: porções variadas, picanha, escondidinho, batata, tábua mineira, isca de peixe, refeições com 3 acompanhamentos, entre outros.
Serviço de delivery: não. A casa oferece apenas serviço para viagem
Necessário fazer reservas: é aconselhável
Preço: a partir de R$ 10,00
Local: avenida Capitão Aviador Walter Ribeiro, 437 - Jardim Cumbica
Horário de atendimento: das 11h até a meia noite
Telefone: 2411-1767

México 70
Principais pratos para o dia dos namorados: burrito, totopos com guacamole, nachos, quesadilla de carne, frango ou linguiça, sincronizada de carne, frango ou linguiça, tacos dourados, adelitas, tostadas, chalupas, gringas, catrinas, entre outros.
Serviço de delivery: não. A casa oferece apenas serviço para viagem
Necessário fazer reservas: não
Preço: a partir de R$ 15,00
Local: avenida Esperança, 850 - Vila Progresso
Horário de atendimento: das 19h até a meia noite
Telefone: 2358-9970

Eleven Choperia
Principais pratos para o dia dos namorados: porções variadas, bolinho de bacalhau, casquinha de caranguejo, picanha acebolada, lula à dorê, fritas com calabresa, rã, parmesão a milanesa, caldos de feijão e ervilha, costelinha de porco com madioca, polenta, frios, frutos do mar e 40 tipos de alimentos diferentes para se servir por quilo.
Serviço de delivery: não. A casa oferece apenas serviço para viagem
Necessário fazer reservas: não
Preço: R$ 8,00 a cada 100g e optar por porção o preço é a partir de R$ 16,00
Local: rua Marajó, 19 - Centro
Horário de atendimento: das 17h até o último cliente
Telefone: 2441- 2036

Prefeitura realiza o 2º Casamento Coletivo de Guarulhos


Segundo casamento coletivo de Guarulhos será dia 17

No próximo domingo, 17, é a vez de mais 495 pares repetirem a ação nesta segunda edição do evento    

Da Redação Guarulhosweb

No primeiro casamento coletivo realizado na cidade, em junho do ano passado, 507 casais disseram o tão sonhado sim. No próximo domingo, 17, é a vez de mais 495 pares repetirem a ação na segunda edição que a Prefeitura de Guarulhos, por meio da Coordenadoria do Fundo Social de Solidariedade, vai realizar para unir pessoas de diferentes religiões em uma megacerimônia, com direito a bolo, foto, vestido para as noivas e bênção ecumênica católica e protestante. Aos noivos será servido café da manhã, e aos convidados, lanches.
O matrimônio acontece a partir das 9h, no Ginásio Thomeozão, que fica no Bom Clima. Com exceção das alianças, todos os procedimentos serão gratuitos. Cerca de 8 mil pessoas, entre convidados e familiares, são aguardadas para assistir ao enlace.
No total 10 fotógrafos, entre profissionais da Prefeitura e voluntários, serão responsáveis por fazer o registro das imagens.
A legalização oficial da união será patrocinada pelas empresas GVT (Global Village Telecom) e Bauducco, para cumprir um dos requisitos da Lei 6.343/07, que dispõe sobre o casamento coletivo. Para cobrir as eventuais despesas do enlace, o regulamento prevê parcerias entre o município com entidades privadas ou estatais, ou através de convênio com outros órgãos públicos.
As noivas não terão nenhuma despesa com roupas, o Fundo Social conseguiu gratuitamente diversos vestidos emprestados das lojas Maria Melo, Maison Fiancé, Central das Noivas e Noivos, Rader Aluguel, Santa Chita e Mig Jóia de Noiva.
Após a festa serão sorteados para os participantes brindes e serviços oferecidos pelo Bar do Camarão, Bella Derm, Aloha, Churrascaria Dallas, Hotel Slaviero, supermercados Barbosa e Lopes.

Dia da Noiva

Com a finalidade de tornar as noivas do casamento coletivo mais bonitas e bem relaxadas para o matrimônio, o Fundo Social realiza gratuitamente no dia 15 o Dia da Noiva, das 9 às 17horas, na sede do órgão, situada à Alameda Tutoia, 534, Gopoúva.
Na ocasião, os professores e alunos dos cursos profissionalizantes do Fundo nas áreas de beleza e terapias naturais, farão massagens, corte de cabelo, escova e pintura das unhas das mãos e pés e nos cabelos para quem levar a tinta. Para participar as inscritas devem comparecer ao local. O atendimento será feito por ordem de chegada.

Faculdade Progresso iniciará cursos superiores em 2013

COMENTÁRIO DO BLOG: Essa será mais opção para formação superior em Guarulhos, onde a demanda para formação superior vem subindo assustadoramente. Estamos na torcida para que a qualidade dos cursos oferecidos tenham alto padrão de qualidade

Serão oferecidos cursos cursos nas áreas de Administração, Direito e Pedagogia

Da Redação Guarulhosweb


Roberto Morandeira estreia no ensino superior com o lançamento da Faculdade Progresso, campus Vila Galvão, a partir do colégio de mesmo nome, instalado na Timóteo Penteado, 4545. Ele anuncia cursos nas áreas de Administração, Direito e Pedagogia. O primeiro processo de seleção acontece a partir de outubro e as turmas iniciais começam em 2013.
A Faculdade Progresso será a oitava instituição de ensino superior particular instalada em Guarulhos. Junta-se a UNG, FIG-Unimesp, Eniac, Anhanguera-Torricelli, Faculdades de Guarulhos (Figuinha), Facig e ESPA, além da Metodista, que mantém ensino a distância nos Pimentas, e das públicas Fatec (estadual) e Unifesp (federal).

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Big Band se apresenta nesta quinta no Teatro Adamastor

Divulgação
Da Redação do Diário de Guarulhos

O Grupo do Conservatório Municipal se apresenta nesta quinta-feira (14), no Teatro Adamastor..
A proposta é apresentar ao público o estudo e desenvolvimento da linguagem da música popular instrumental, através da prática em grupo.
No repertório espere por composições que incluem jazz, blues, samba e baião, além de temas de filmes.
O grupo conta com os arranjos e regência do professor do Conservatório Municipal Marcelo Mendonça.
Serviço
Big Band. Local: Teatro Adamastor. Av. Monteiro Lobato, 734, Macedo. Data: 14 de junho. Horário: 20h.Retirar um ingresso na bilheteria do teatro meia hora antes do início do espetáculo. 

Estudantes de rede pública terão 50% das vagas em universidades, segundo Projeto de Lei

COMENTÁRIO DO BLOG: A aprovação dessa lei, que garante 50% das vagas para alunos oriundos das escolas publicas, irá corrigir uma distorção histórica em nossa sociedade. Há uma imensa discrepância nas vagas ocupadas nas universidades públicas, pois 80% dos alunos são oriundos das melhores escolas particulares, causando um corte social, pois, a maioria desses alunos ao se formar visão apenas o lucro e o acúmulo de patrimônio. Poucos terão compromisso com a contrapartida à sociedade, retribuindo àquilo que a sociedade investiu em sua formação.
A aprovação desse Projeto de Lei é urgente para corrigir essa indecência, onde apenas filho de rico pode ingressar nas melhores universidades.
Senadores aprovam 50% para alunos da rede pública
nas universidades
Da Agência Brasil

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou na última quinta (6) projeto de lei (PL) que reserva 50% das vagas em universidades federais e estaduais para estudantes que cursaram integralmente o ensino médio na rede pública. O mesmo percentual será aplicado nas instituições federais de ensino técnico de nível médio. A matéria ainda será votada em outras duas comissões – Educação e a de Assuntos Sociais. Pela proposta já aprovada na Câmara, metade dos 50% previstos no projeto será reservada a estudantes oriundos de famílias com renda igual ou inferior a um salário mínimo e meio per capita. Há ainda um recorte racial na escolha dos alunos que ocuparão os 50% das vagas. O preenchimento será feito, por curso e turno, de maneira preferencial pelos alunos que se autodeclararem negros, pardos e indígenas. Para efeito de cálculo, será levada em conta, proporcionalmente, a população desses brasileiros no estado onde estiver instalada a instituição de ensino, com base no último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No caso de não preenchimento das vagas, de acordo com os critérios estabelecidos, a sobra será completada por estudantes que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas sem qualquer distinção racial. Pelo projeto de lei da Câmara, o governo federal terá um prazo de dez anos, a contar da promulgação da lei, para se adequar às novas regras. Neste período, será feita a revisão do programa de acesso nas instituições de educação superior. Em seu parecer, a senadora Ana Rita (PT-ES) diz que a adoção de legislação punitiva ao crime de racismo é insuficiente para reduzir a assimetria entre brancos e negros. “De acordo com dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), os brasileiros negros, pretos e pardos constituem 49,5% da população e encontram-se em situação de grande desigualdade em relação aos brancos em todos os indicadores sociais”, disse a senadora.

domingo, 3 de junho de 2012

Começam as obras da terceira estação de tratamento de esgoto em Guarulhos

O prefeito Sebastião Almeida durante a vistoria na obra.
O projeto tem capacidade para tratar 15% dos esgotos gerados no município que elevará para 50% o volume de esgoto tratado    

Por Rosana Ibanez
Do Guarulhosweb



O Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) iniciou as obras da construção da terceira Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Várzea do Palácio. O projeto tem capacidade para tratar 15% dos esgotos gerados no município, o que somado com as outras duas, São João e Bonsucesso, elevará para 50% o volume de esgoto tratado.
"Hoje é um dia histórico para nós que sonhamos com uma cidade ambientalmente correta. A partir de agora daremos prosseguimento a nossa meta de tratar 100% do esgoto gerado no município", afirmou o prefeito Sebastião Almeida durante a vistoria na obra.
A ETE Várzea do Palácio tem previsão de ser concluída em 12 meses e receberá investimentos da ordem de R$ 133 milhões - provenientes do repasse de recursos da Caixa Econômica Federal e contrapartida do município.
Segundo Afrânio de Paula Sobrinho, superintendente do Saae, o objetivo é que até 2017 a cidade tenha 80% do esgoto tratado. "É um trabalho muito difícil, e por vezes questionado, mas que para nós é motivo de muito orgulho, alegria e satisfação", ressaltou Sobrinho.
Localizada na rua José Marques Prata, s/nº, próximo a Rodovia Hélio Smidt, a ETE Várzea do Palácio conta com cerca de 300 operários trabalhando no canteiro de obras. No total, serão 5.133 metros de coletor-tronco e interceptor, 511 metros de emissário, 415 metros de linha de recalque três estações elevatórias de esgotos. Além disso, ela foi concebida de forma a possibilitar, no futuro, a produção de água de reuso para fins industriais.

Novo comandante da PM chega com a missão de diminuir criminalidade

O coronel Glauco Silva de Carvalho que irá substituir o
coronel Rui Conegudes de Souza
O novo comandante reuniu-se com seus oficiais e os comandantes dos três batalhões da cidade para se interar dos desafios que virão

Por Ronaldo Paschoalino
Do Diário de Guarulhos

Desde a tarde de ontem Guarulhos tem um novo homem forte no comando da Polícia Militar na cidade. Trata-se do coronel Glauco Silva de Carvalho que irá substituir o coronel Rui Conegudes de Souza, que na última quarta-feira assumiu o comando da Corregedoria geral da PM. O novo comandante do Comando de Policiamento de Área (CPA-M7) reuniu-se com seus oficiais e os comandantes dos três batalhões da cidade para se interar dos desafios que virão pela frente.
Em uma das pausas da reunião, após tomar posse do comando, coronel Glauco conversou rapidamente com a reportagem do Guarulhos Hoje e pediu tempo para conhecer o cenário atual da segurança pública em Guarulhos. "Qualquer coisa dita por mim hoje a vocês seria precipitado. Hoje (01/06) me reúno com meus comandantes para ter um panorama geral da cidade e, no máximo em duas semanas, acredito ter um plano traçado de como conduzirei os trabalhos na cidade. Antecipo que comandar este CPA é um grande desafio e, reduzir os níveis de criminalidade sempre será o principal objetivo", declarou.
O novo comandante chega a Guarulhos após servir cinco anos no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo do Estado, no bairro do Morumbi, em São Paulo. Coronel Glauco estava lotado no Gabinete do comando geral e trabalhou ao lado do ex-governador Cláudio Lembo, e também, com o atual governador Geraldo Alckimim. Leia mais.

Hospital Geral de Guarulhos tem internação superlotada


Falta de leitos – Reportagem constatou que vários pacientes
estavam acomodados em macas nos corredores

Por Deisy de Assis
Da Folha Metropolitana

O setor de internação do Pronto-Socorro (PS) do Hospital Geral de Guarulhos (HGG), mantido pelo Governo do Estado de São Paulo, referência em atendimentos de urgência na cidade, é alvo de críticas de usuários. Superlotado, o local tem pacientes sendo tratados nos corredores.
Na tarde de ontem, a internação, que funciona no andar térreo do equipamento, tinha 14 pacientes acomodados em macas ao longo de três corredores, entre os quais estavam idosos. Com diagnósticos diferentes, os doentes ficam no local, sem perspectivas de conseguir leito na área ambulatorial, que funciona nos andares superiores do hospital.
“Semana passada, minha irmã ficou três dias internada e foi liberada sem a devida investigação do que ela tinha”, contou a operadora de máquinas Marisa Aparecida, 33 anos, que ontem tentava encaminhamentos para que a irmã pudesse receber tratamento.
A aposentada Rosa Maria de Azevedo, 61, diz estar indignada com a situação. “Pessoas em macas rente ao chão, corredores abarrotados de pacientes e salas sem a menor condição de circulação de ar, tornando o ambiente insalubre”, descreveu Rosa, que está com o irmão internado há três dias no PS.
Ainda na tarde de ontem, entre os 14 pacientes, podiam ser observados cobertores rasgados e até roupas de internação no chão, à espera do recolhimento para lavagem.
Aos acompanhantes dos internados faltam acomodações. “Muitos tentavam se acomodar debruçados aos doentes”, contou Rosa. Leia mais.

Liminar impede reintegração em Cumbica


Aparato policial – Estava tudo pronto para retirada dos
moradores, mas o advogado apresentou o documento

Por Deisy de Assis
Da Folha Metropolitana

Os moradores da comunidade Santa Maria, no Jardim Cumbica, conseguiram recurso judicial para impedir a desapropriação de parte da área, que chegou a ser iniciada na manhã desta quinta-feira, 31. A Justiça havia determinado que 31 residências fossem retiradas do local ontem.
Advogado de defesa da população, Roberto Messias, exibiu a liminar, emitida na madrugada de ontem, determinando a suspensão do processo. “Um laudo pericial deveria ser apresentado até o dia 17 de junho, no entanto, o juiz emitiu a ação antes deste prazo”, aponta Messias. Ele que menciona que a função social da área deve ser discutida.
Ontem moradores haviam desocupado suas casas, mesmo sem ter destino, sendo que residências chegaram a começar a ser demolidas. “Tenho seis filhos e não tenho para onde ir”, disse a diarista Rosineide dos Santos, 34 anos, que mora na comunidade há nove anos.
O líder comunitário Hernandes Queiroz frisa que não houve notificação prévia para a ação e criticou a ausência da Prefeitura para assistência aos moradores. Segundo ele, o processo teve início em 1996, mas teria sido interrompido, uma vez que os proprietários tinham dívidas com o lote. Leia mais.

Proteção animal pode ganhar coordenadoria em Guarulhos

Entre as propostas está a criação de um hospital veterinário,
um centro de adoção e convênio com clínicas

COMENTÁRIO DO BLOG: A criação de uma coordenadoria de proteção animal em Guarulhos será uma excelente iniciativa do prefeito Sebastião Almeida.
Infelizmente o número de animais abandonados na cidade tem aumentado muito, bem como, também existe um grande número de famílias que não ganham o suficiente para manter em dia suas obrigações com cães e gatos.

Por Deisy de Assis
Da Folha Metropolitana

Reivindicada por entidades da causa animal no município, a criação de uma Coordenadoria Municipal de Proteção Animal pode ser uma das promessas para a campanha eleitoral 2012.
A proposta, apresentada à Prefeitura neste mês, é resultado do 1º Seminário de Posse Responsável e Proteção Animal de Guarulhos em audiência pública realizado pela Câmara Municipal no ano passado.
“Pretendo incluir a questão nas discussões para o programa de governo”, disse o prefeito Sebastião Almeida, que vê com otimismo possibilidade de criação da pasta. O prefeito diz que uma coordenadoria específica possibilitaria o estudo para viabilizar as demais reivindicações.
Entre as propostas há a criação de um hospital veterinário público e de um centro de adoção, que funcionaria como um canil público, convênios com clínicas veterinárias particulares para castrações a baixo custo, além da reforma do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) Guarulhos.
Maria Edy Rolim, presidente da Comissão de Defesa, Proteção e Preservação do Animal da Ordem dos Advogados (OAB), subseção Guarulhos, frisa os tópicos como fundamentais. “A ausência de um canil e de um hospital públicos são problemas graves na cidade, que levam a superlotação dos abrigos de protetores.”

Nova pasta destinada a políticas públicas e combate ao abandono
Em vias públicas, centenas de animais vivem em situação de rua. Apesar de estimar população de 260 mil cães e 80 mil gatos domiciliados, a Secretaria Municipal de Saúde não tem número de animais abandonados.
Hoje com 140 animais, o CCZ, cuja missão é o combate e controle das zoonoses, a fim de zelar pela saúde pública, realiza um trabalho de recolhimento seletivo. “Cães sadios não são recolhidos. Apenas os que oferecem riscos à saúde pública, seja por estas doenças ou por agressividade, conforme leis municipal e estadual”, explica o gerente da seção técnica de controle da raiva, Fernando Cortez.
O vereador José Luiz Luiz (PT), autor da Lei nº 6.033/04, destaca que a criação da coordenadoria levará a políticas públicas específicas. “Assim a Prefeitura poderá delimitar ações para reverter esse quadro e resguardar o direito dos animais.”

Município estuda castra-móvel
Na lista das propostas está a criação do castra-móvel. O prefeito afirmou que a implantação do serviço está em avaliação e pode ser posta em prática até o fim do ano. O recurso permitiria a descentralização das castrações do CCZ, levando a estrutura necessária para o procedimento aos bairros.
Atualmente, para conseguir a castração de cães e gatos, o munícipe deve se deslocar até ao CCZ, em Bonsucesso, e aguardar a disponibilidade de vaga. De 2009 até março deste ano, foram contabilizadas 34.650 castrações. Também são realizadas castrações nos chamados cães comunitários, que são cuidados por munícipes em vias públicas.

Parceria com o hospital veterinário
Especificamente para tratar dos animais acolhidos, o CCZ dispõe de uma estrutura hospitalar. A fim de prestar melhor assistência a fraturados, está em negociação uma parceria entre o órgão e o hospital veterinário particular São Pedro, na Capital, que pode ser colocada em prática ainda neste ano.
“A ideia é encaminhar alguns dos resgatados fraturados para tratamento especializado, com cirurgias e recursos como a fisioterapia”, comenta o gerente da seção técnica de controle da raiva do CCZ, Fernando Cortez.

Pacientes enfrentam fila para entrar no Hospital Padre Bento

Novo controle de acesso Assessoria do Hospital explicou
que testa novo sistema; usuários não gostaram
COMENTÁRIO DO BLOG: Estão virando rotina as ações da Secretaria Estadual de Saúde que contrariam os usuários dos hospitais do Estado em Guarulhos. Depois de fechar a pediatria do Hospital Geral, elevando a demanda de atendimentos no Hospital Municipal da Criança, agora eles criam esse mecanismo que dificulta o acesso do povo às dependências do Padre Bento.
Absurdo!!

Por Guilherme Derrico
Da Folha Metropolitana

O Hospital Estadual Padre Bento, localizado na Av. Emílio Ribas, no Gopoúva, passa por problemas sérios. Na tarde de ontem, a fila na porta do complexo chegava a um quilômetro, pois funcionários do hospital estavam testando um novo sistema de controle de acesso ao local. A entrada só era permitida depois de preencher uma ficha indicando nome completo, RG, e outros documentos. “Nunca vi isso, ter que fazer ficha para entrar no hospital, é um absurdo”, desabafa a paciente Conceição Aparecida.
Depois de muitas reclamações dos usuários, mais colaboradores foram colocados para atender as pessoas e preencher as fichas. A situação começou a se normalizar a partir das 13h. Denúncias indicam também a falta de médicos e uma conduta duvidosa praticada por alguns profissionais da casa. Segundo Aparecida de Cássia, que tentou uma consulta para a mãe na última quarta-feira, dia 30, não havia médicos para atender aos pacientes. “Minha mãe estava doente e não havia médicos no local. O único que estava lá batia papo com outros funcionários”, diz Aparecida.
Ela informou também que os enfermeiros não estão capacitados para executar sua função e mal sabiam manipular as seringas e agulhas. “Furaram o braço da minha mãe várias vezes, sem conseguir aplicar o remédio. Ela saiu toda roxa”.
Hospital nega que tenha registrado fila na porta
Questionada, a Secretaria do Estado informou que nenhum paciente ou acompanhante foi barrado. Explicou que a instituição está testando um novo sistema de controle de acesso para garantir a segurança dos próprios pacientes e dos profissionais que lá atuam.
De acordo com a Assessoria, não há preenchimento de ficha, apenas um papel em que é marcado o nome do paciente ou acompanhante e o setor onde ele irá se dirigir. Informa ainda que o documento de identidade é solicitado para confirmação dos dados informados. Apesar das denúncias, a Pasta respondeu que não houve registro de filas.

São João e adjacências sofrem com falta de obras

Falta de pavimentação é problema que persiste ao
longo dos anos na Cidade Soberana

COMENTÁRIO DO BLOG: Moro no Jd. São João e circulo pelos bairros mencionados nessa reportagem.
As obras de infraestrutura e saneamento avançaram bastante nos últimos anos, porém, ainda há muito por se fazer. Muitos loteadores descumpriram a lei ao vender terrenos sem a infraestrutura exigida na lei, deixando para a prefeitura o ônus de investir em obras básicas como água, iluminação, drenagem e pavimentação.
Também faltam vereadores eleitos pela região, comprometidos com as lutas sociais e bem estar do povo mais pobre. Outubro está chegando, portanto, cabe aos moradores dessa região, analisar cuidadosamente as propostas e compromissos dos concorrentes ao parlamento municipal.
A região do Pimentas é um belo exemplo de como vereadores podem contribuir para o desenvolvimento dos bairros. Tudo o que falta no São João e região tem no Pimentas: CEUs, Hospital, Universidade Federal, Agência do INSS, Shopping, etc.

Por Laís Domingues
Da Folha Metropolitana

Na última reportagem da série Ano Eleitoral, a Folha Metropolitana esteve na região do São João e os principais problemas apontados ainda é a infraestrutura, em especial a drenagem e pavimentação.
No Jardim São João, os problemas de drenagem estão perturbando comerciantes e moradores de locais como a Avenida Riachuelo e a Estrada do Saboó. O borracheiro Joatan Duarte Teles, 48, afirma que em dias de chuva, principalmente quando há feira livre, tem alagamento. “Tenho que fechar a borracharia porque a água chega até nos fundos. Na minha casa, que fica nesta rua, a água chega a alcançar um metro e meio”.

Segundo a dona de casa Rosilda da Silva, 49, a comunidade do Campo do São João, que fica na Estrada do Saboó é a mais atingida por enchentes devido ao Córrego da Vila do Sapo que fica próximo. Além do escoamento da maior parte da água da parte mais elevada do bairro para a região.
Outro ponto problemático fica na Rua Pedro Luiz que há cerca de dois anos sofre com o retorno do esgoto para dentro de 25 residências quando das chuvas.
Seródio – Na Cidade Seródio as enchentes também são apontadas como o principal problema. O ponto que mais tem sofrido fica entre as ruas Delfinópolis e Camacam. “A água chega ao joelho quando chove. O rio transborda e muitas vezes os bueiros também jorravam água. Nenhuma casa escapa.”, disse a vendedora Leda Pereira, 53.
A dona de casa Ivanda da Cruz fez uma escada de concreto em frente à sua casa para reduzir as cheias, mas as perdas são inevitáveis.
Asfalto é reivindicação antiga
A região do São João também sofre com a falta de pavimentação, em especial no Soberana. A situação é precária em vias como as ruas Atonina, Cerro Azul, Rio Negro e Tanque D’Arca, em que até mesmo o trânsito de veículos é difícil. Na Rua Caçapava, entretanto, as condições são ainda piores. Morador há 16 anos do local, Joedson Xavier, 30, afirma que diariamente precisa subir a via com a filha pois a perua escolar não consegue trafegar pelo local. “Além disso, o final da rua recebe toda a água coletada no bairro. Pelo menos quatro casas, e uma delas é a minha, sofrem com alagamentos”, disse.
No Jardim Fortaleza a situação se repete com ruas como a José Tavares da Silva e a Avenida dos Evangélicos. A Avenida João Callado também preocupa, pois devido aos constantes transbordamentos do córrego, parte da via, também sem pavimentação, já foi consumida pela erosão.
Estrada preocupa moradores
De acordo com o funcionário público Eduardo Barreto, 31, são registrados, no mínimo, três acidentes fatais por mês na região da Estrada Guarulhos/Nazaré entre a entrada do Soberana e do Fortaleza. Barreto perdeu o irmão em 2004 no trecho. “Mesmo depois de anos a situação permanece a mesma: falta iluminação e a sinalização é insuficiente”, afirmou.
O empresário Daniel Costa Nascimento, 26, viu há o melhor amigo engrossar o número de vítimas. “Como não há câmeras no local não se sabe se o motorista do carro perdeu a direção ou se ele abriu demais a curva. Ele faleceu na hora”.
Local precisa de redutores de velocidade
O professor da Universidade Guarulhos e técnico da Central de Engenharia de Tráfego de São Paulo (CET), Tadeu Leite Duarte, afirmou que a situação no trecho da Estrada Guarulhos/Nazaré apontado pela reportagem é precária. Para Duarte, talvez haja um impasse entre o Governo e o município em relação ao local, entretanto é preciso uma solução rápida para o trecho urbano, com melhoria da iluminação noturna e a instalação de lombadas eletrônicas para o controle e redução da velocidade na aproximação das entradas dos bairros.
Já para o engenheiro e conselheiro da Associação de Arquitetos, Engenheiros e Agrônomos de Guarulhos (Asseag), Jorge Marques, toda a região do São João precisa de projetos especiais de urbanização em que sejam avaliados, antes mesmo da pavimentação, a drenagem, a rede de saneamento básico, e a diminuição dos aclives.

terça-feira, 29 de maio de 2012

Em SP, 1.304 crianças aguardam adoção



Há 16 anos bebês brancos eram mais procurados, mas houve mudanças


Por Marcela Fonseca
Da Folha Metropolitana

O Estado de São Paulo tem 1.304 crianças em lista do Cadastro Nacional de Justiça à espera de adoção, segundo o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP). Em todo o Brasil são 5,2 mil crianças à espera de uma família e 28 mil pretendentes.
Apesar de ser o maior Estado em números de adoção, em São Paulo as exigências de determinados perfis não colaboram para aumento de índices. A situação está mudando, mas no Dia Nacional da Adoção, celebrado ontem,ainda há um longo caminho a percorrer.
“As pessoas têm adotado crianças de mais idade. Há 16 anos somente bebês brancos eram procurados”, diz Mônica Natale de Camargo, gerente do Grupo de Apoio à Adoção de São Paulo (Gaasp). Segundo ela, o que diminuiu foi o índice de adoções internacionais. “Em 2011 foram mais de 3 mil processos de adoção. Destes, 2,9% para adoção internacional.” Mônica afirma que o Cadastro Nacional da Adoção, criado em 2008 para reunir informações de crianças e pretendentes, colaborou apenas para cerca de 700 adoções desde o início. Mesmo de 10% do que São Paulo faz, segundo a gerente da Gaasp. Leia mais. 

Cabuçu: ameaça à preservação ambiental

Construções são erguidas nos fins de semana e um
lixão ganha volume a cada dia
Por Laís Domingues
Da Folha Metropolitana

Com quase um ano e meio de criação, a Área de Preservação Ambiental Cabuçu–Tanque Grande ainda não garante uma ocupação ordenada e sem prejuízo ao ecossistema local. Dados da própria APA apontam que 36 mil árvores foram derrubadas para a ocupação de regiões como o Novo Recreio, Jardim dos Cardozos e Recreio São Jorge.

Dando continuação à série Ano Eleitoral, a Folha Metropolitana esteve na região e constatou que a mancha urbana tem crescido gradativamente e novas moradias irregulares são edificadas, até mesmo em áreas de risco. O aposentado César Lemos de Souza, de 50, morador irregular do local há oito, disse que a área está embargada pela Justiça e que em alguns pontos não é possível nem mesmo a ligação de água, luz e esgoto.

Entretanto, as construções têm avançado e, segundo ele, novas ruas são abertas pelos próprios moradores. Leia mais.

Parada Gay reúne cerca de 75 mil participantes


Por Edilene Ribeiro
Da Folha Metropolitana

Cinco trios elétricos, muita música, beijos na boca e looks pra lá de coloridos e ousados marcaram a sétima edição da Parada Gay Guarulhos que percorreu as ruas do centro da cidade na tarde deste domingo. Segundo o organizador do evento, Genivaldo Espíndola, este ano, a festa reuniu um público de aproximadamente 75 mil pessoas, ou seja, 30% a mais do que a edição anterior. “A nossa intenção é crescer a cada ano e levar a mensagem de que cada um tem o direito de ser o que realmente é. Sem preconceitos”, disse Espíndola.
Para o organizador, a pior forma de preconceito está dentro de casa. “Isso impede que a pessoa se assuma por ter medo da reação dos familiares”. O evento também destacou o combate à homofobia. “As pessoas precisam entender que somos todos iguais. É preciso acabar com essa forma de distinção”, ressaltou Espíndola, que também tem como objetivo alcançar e garantir a criação de uma coordenadoria que crie políticas públicas para a população LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transessuxais). “Isso é importante para avançarmos cada vez mais no combate ao preconceito e a Parada Gay Guarulhos já trouxe resultados bem positivos neste quesito”, concluiu.
“Não precisa aceitar, só respeitar"
Muitos casais homossexuais foram curtir a festa e mostrar que toda forma de amor deve ser respeitada. Juntos há três anos, o casal Luís Júnior, 22 anos e Wagner Nascimento, 25 anos, contaram que não perdem uma Parada Gay. “Nós adoramos. Estamos sempre presente nas que acontecem tanto em Guarulhos como na Capital”, disse Wagner. Para Luís, o evento virou uma espécie de símbolo de respeito. “As pessoas não precisam aceitar, apenas respeitar. O importante é ser feliz”.
Há oito anos casadas, Kelly e Clauren eram só amores durante a festa. “Eu cheguei a ser noiva de um homem, mas acho que me camuflava muito. A Clauren é a minha cara metade e hoje, não ligamos para o preconceito. Somos felizes assim e levamos uma vida normal como qualquer um”, contou Kelly.
Muita animação
Roupas coloridas, música e muita animação tomou conta da sétima edição da Parada Gay Guarulhos que percorreu as ruas do centro da cidade na tarde deste domingo e destacou o combate a homofobia. Para o organizador, a pior forma de preconceito está dentro de casa. “Isso impede que a pessoa se assuma por ter medo da reação dos familiares”.